Mais Poesia

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Chantagens usam o medo
Para os tolos se sentirem cobrados
E já acordarem encanados, logo cedo

Num momento de evidência
Me senti em abstinência de paz
A tranquilidade ficou pra trás

Os sentimentos encurralados
Inibidos e amedrontados
Palavras sufocadas e verbos afogados

Sob pressão eu perco a atenção
Com cobrança e imposição
Eu volto para minha reclusão

Belos papos abaixo de queixos machucados
De tanto ralar no mesmo buraco
Seguindo suas interpretações tolas

Afugentando o amigo 
Que foi procurar abrigo
A procura de paz e aprendizado

Interpretam como querem
E usam isso como poder
Para fazer você crer

Tem gente que tem o dom de levar paz
Tem gente que tem o dom de cobrar a mesma paz
E tem gente que observa tudo isso, em paz

Aline Madruga


Nenhum comentário: