Mais Poesia

sábado, 30 de julho de 2016

O Poder da Poesia

Com a poesia
Eu posso te tocar
Te entreter
Mexer com você

Brincar com as rimas
Pular as linhas
Contar histórias
Com letras tortas

Posso te divertir
Te fazer refletir
Te fazer sorrir
Nesse ir e vir

Em qualquer lugar
Com ou sem luar
Perto ou longe do mar
A poesia pode te encantar

Aline Madruga

quinta-feira, 28 de julho de 2016

"Vó"

Eu não tive a oportunidade
De te ter de verdade
De ir na sua casa
Ser mimada
Ouvir suas canções
Usar seus batons
Eu não pude fugir de uma bronca Atrás da sua saia
Ver desenho na sala
No seu colo
Enquanto você me ninava
Não deu para ouvir um conselho seu
Dormir ao seu lado
Comer sua comida
Chorar o leite derramado
Mas eu sinto seu amor
Carrego em minha genética o seu valor
Sigo aquele segredo que você deixou
Eu tenho lembranças sem ter te visto
Sei que posso contar 
Com seu ombro amigo
Essa sua proteção
Faz aliviar meu coração
Você está sempre por perto
E faz eu despertar meu lado mais esperto
Me ajuda a perder o medo do incerto
E de algum lugar
Você consegue exercer
O papel de "vó" e de bem querer
Eu só tenho que agradecer
Por todo carinho 
Que você faz transparecer
As lágrimas já começam a descer
Mas é de amor
Não de sofrer

Aline Madruga

Aquariana

Ela é aquariana
Não espere que ela siga um padrão 
Essa mulher não é de obedecer patrão 
Muito menos de fazer questão 
Da sua ingênua opinião 

Por fora tem esse lado durão 
Um jeito de falar grosseiro
Muitos dirão 
Mas é boa de coração

Ela é mulher forte
Não fica esperando a sorte
Batalha sozinha
Sua coragem é de grande porte

Aquariana danada
Não mexe com ela
Estando certa ou errada
Ela te dará uma "lambada"


Aline Madruga

Geminiana

Ela está bem
E de repente fica mal
Ela é de gêmeos
Isso é normal

Ela fala bastante
Mas deixa ela falar
Em qualquer lugar
É ela que vai animar

Tudo o que ela acredita
Ela leva a muito sério
Pode perguntar
Ela não faz mistério

No amor é como chama
E o seu grande ciúme
É a maior prova
De que te ama

Determinada 
Vive em euforia
Com uma super energia
É uma ótima companhia

 Aline Madruga


quarta-feira, 20 de julho de 2016

Sobre o Amor de Renata e Alessandro

Eu relutei em te encontrar
Com medo de me apaixonar
Eu exitei em te conhecer
Com medo de sofrer
Mas foi impossível escapar
E logo perceber
O quanto eu precisava de você
Tão certo era o nosso amor
Que só de você se aproximar
A você quis me prender
Uma família construir
E no seu dia-a-dia existir
Cada dia que passa
Mais alegria você me dá
E faz da minha vida
O que tanto eu ficava a sonhar
Me faz sentir completa
Me faz viver sem pressa
Como num conto de fadas
Você é meu grande amor
Eu sou a sua amada

Aline Madruga

O Exagero e os Filhos

Cuidado com o medo
Dos seus filhos passarem pelos mesmos erros
E difíceis situações
Que um dia você passou
Cuidado para não sufocar
Preocupado se ele irá acertar
O exagero demasiado
O fará se sentir sufocado
E você não pode livrá-lo
De todas as dores
De todos os traumas
É fato
Afinal, de alguma forma você chegou até aqui
Errando e aprendendo
Acertando e vivendo
Muita interferência
Causa uma grande turbulência
Não vá tentar
Corrigir no seus filhos
Suas pendências
Seus grilos
Porque no fim
Todos ficam sãos e salvos
E estamos vivos

Aline Madruga






Dia da Amizade

Para um coração sem abrigo
Nada melhor que um amigo
De todos os tipos
De todas as idades
Feliz dia da amizade
E feliz foi o dia
Em que os conheci
E ainda guardo espaço 
Para os que ainda irei conhecer
Dentro do meu coração
Um bom amigo
Sempre irá caber

Aline Madruga

terça-feira, 19 de julho de 2016

Nosso Passado

Algo que um dia foi bom
Hoje virou só lembrança
Aquela intimidade toda
Virou apenas distância
Todas as nossas risadas
Ficaram sem graça
Os presentes trocados
Em algum lugar, jogados
Aqueles passeios
Ficaram perdidos no mapa
O amor, virou perdão
O tesão, perdeu o sal
E o meu coração 
Já está ocupado

Aline Madruga





segunda-feira, 18 de julho de 2016

Decisão

Hoje decidi parar
Parar de entender
Pessoas complicadas
Que travam qualquer jornada
Com desculpas esfarrapadas
Que fazem pouco caso
Que somem ao acaso
Que num dia te amam
E no outro te estranham
Que na sua frente falam de amizade
E nas suas costas
Fazem críticas amargas
Que perdem o interesse
Na primeira oportunidade
De se dar melhor do que você
Que só são prestativas em dias ruins
E te condenam em dias felizes
E vice-versa
Porque é mais fácil
Te admirar
Enquanto pior do que elas você está
Que te prometem mundos e fundos
E depois ficam em cima dos muros
Fingindo serem surdos
Dando uma de distraídos
Falando suas versões
Totalmente destemidos
Como se fosse fácil viver assim
E suas mentiras não fossem chegar a mim
Passo a bola para frente
Quero distância dessa gente
O que é bom, flui tranquilo
O que é ruim, traz desalinhos

Aline Madruga

sábado, 16 de julho de 2016

A Criança

Quando somos crianças
Somos muito cobrados
Para sermos aceitos
Para sermos amados
Menino bom
É menino educado
Dizia alguém intrometido:
"Olhe fulano, como está comportado!"
Não dê gargalhadas
Vai virar briga
Não pise na lama
Sua roupa está limpa
Aproveito para pedir um favor
Não faça diferença entre as crianças
Elas têm dentro delas
Um mundo de esperança
Vão levar para sempre
Essa lembrança


Aline Madruga

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Dias de Gratidão

As alegrias vividas
Já não tinham mais lugar
Ficou só o pó 
E a casa para limpar

Ela pensou como foi feliz
Enquanto estava tudo bagunçado
Louças para lavar
Quartos para arrumar

A casa estava cheia
Eram broncas e brincadeiras
Meias encardidas
Sem par e escondidas

O som alto da televisão
Migalhas espalhadas pelo chão
Pelos nas roupas
Gargalhadas soltas

Grande é a gratidão
Por esses dias que não passaram em vão
Mesmo com todo cansaço
E situações de embaraço

No meu peito ainda há espaço
Para muita bagunça e confusão
Essa que enche de amor
Meu carente coração

Aline Madruga

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Pedrinho e sua Bola Perdida

Pedrinho era um menino encantador.
Tratava todos a sua volta com muito amor.
Ele sempre foi muito esperto e brincava com quem estivesse por perto.
Mas um dia Pedrinho resolveu inventar.
Com uma nova brincadeira começou a assustar.
Fingia para as pessoas que sua bola tinha caído na floresta.
Assim, tentavam ajudar Pedrinho, procurando sua bola pelos caminhos. 
Mesmo sabendo que lá na floresta tinha muitos perigos: cobras, lobos, aranhas e grandes besouros.
Procura de lá, procura de cá. 
E nada de encontrar.
Pedrinho chegava de mansinho e de repente mostrava sua bola que não havia se perdido no caminho.
E assim continuou por alguns dias. 
Até que numa bela tarde, Pedrinho perdeu sua bola de verdade. 
Foi parar no meio da floresta.
Ele gritou e gritou, pedindo ajuda para as pessoas, mas não conseguiu convencer nem metade.
Todos já sabiam que Pedrinho fingia ter perdido a bola para assustar e desse jeito, ninguém queria ajudar.
Agora já era, Pedrinho ficou sem sua bola e é uma pena, já que ele gostava tanto dela.
Mas agora ele aprendeu a lição. Não vale a pena fingir para ninguém não.

Aline Madruga

terça-feira, 5 de julho de 2016

Pensamento Bom

Pensa num bom motivo
pra manter seu sorriso.
Pensa no que você tem de bom
pra ajudar seu coração
a manter os melhores pensamentos.
Se não conseguir,
coloca uma música animada
que dê vontade de dançar
ou de cantar.
Logo você se sentirá bem
E assim, as coisas boas vem.

Aline Madruga