Mais Poesia

domingo, 26 de junho de 2016

Uma Boa Conversa

Eu prefiro que você me conte uma piada sem graça
Ao invés de ficar falando de desgraça
Uma conversa agradável muito me encanta
Toda energia negativa espanta
Gosto de rir até passar mal
Se fosse para saber de notícia ruim
Eu assistiria telejornal
Se precisar de uma palavra doce ou engraçada
Eu tenho um vasto vocabulário, minha cara
Vamos trocar receitas
Falar besteira
Comer até a "pança" ficar cheia
Vamos tirar um dia de dizer "sim"
Sim para a vida
Sim para a alegria
Sim para cura de todas as feridas
Ouvir palavras boas saindo de uma boca
É como alguém que canta
E uma boa música
Sempre vira dança

Aline Madruga

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Pássaro Livre

Vem com o vento
No mais belo momento
Seu pio, seu canto lírico
Trazendo paz
Me fazendo florir
E colorir
Te espero ao luar
Te vejo chegar
Livre
Pousa para mim
Cantigas me oferece
A noite escurece
É quase um ninar
Te ouvir cantar
A brisa em meu rosto
Te vejo voar
Com cores tão lindas
Amanhã vai voltar

Aline Madruga

Geração "Mimimi"


A pimenta que caiu no meu olho
Não ardeu em você
Você nem ligou
Está tão preocupado em defender seus direitos
Que esqueceu que os outros também merecem respeito
Tá sempre cheio de razão
E não consegue aceitar outro tipo de opinião
Se não for pra falar do que te interessa, você se estressa
Descarta as pessoas e depois vem falar de preconceito
Quando você nem tem conceito
Melhor calar e consentir
Do que sair rindo dos outros por aí
Não venha falar do que não sabe
Nesse momento falar menos é o que te cabe
Certas coisas nem vale a pena discutir
Pra conversar com você, eu vou ter sempre que mentir
Já que você não me aceita
Só porque eu não sou da sua ceita
Esse é um desabafo para a geração "mimimi"
Que quanto mais se mostra
Mais causa discórdia
Não ser como você
Me faz ser errado e fora do seu padrão
No seu coração tem ódio
E vibra só por uma porção
Você só se detém no que te convém
Trata os outros com desdém
Tá fazendo comigo
O que sempre reclamou que fizeram com você
Vale a pena parar pra pensar
Ao invés de continuar a se perder
Aline Madruga

sábado, 11 de junho de 2016

Coisas da Idade

Ficar no mesmo lugar
Já não tem mais graça
Quero jogar dominó
Em várias praças
Com conversa fiada
Sem hora pra acabar
Ando muito acelerado
Preciso andar devagar
Quero provar outros sabores
Aprender a tocar um novo instrumento
Antigamente, eu vivia sem tempo
Fico atento
Ao meu alento
Vou viver este momento
Sentir o vento
Com roupas largas
Sorriso no rosto
E o suficiente dentro do bolso

Aline Madruga