Mais Poesia

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Em Memória à Minha Tia

Tudo ela sabe, mas nem sempre vê
Por caminhos vagarosos
Ela vai te conhecer

Um cigarro e um café
Um scarpin sempre no pé
Suas mãos muito macias
Conta histórias sobre a vida

Numa toalha de algodão
Com o baralho em suas mãos
Ela vai se apresentar
E seu futuro enxergar

De um lado para o outro
Ela anda sem parar
Pensando sobre a vida
Com um cigarro p´ra tragar

Sem pressa ela vivia
Mas chegou sua partida
Me olhou com aquele olhar
De quando eu era uma menina

Minha loira, ela falava
Deite aqui com sua tia
Eu em prantos soluçava
E em seu colo adormecia.

Aline Madruga

4 comentários:

Renata BM Baptista disse...

Meu Deus,que perfeito....Me emocionei! Que saudade que eu tenho dela, quantas lembranças maravilhosas que nós temos...Um dia nos encontraremos de novo, e sei que ela volta e meia está perto...Obrigada pelo que li, vc conseguiu colocar no papel exatamente a visão que tenho dela, só que no lugar de "loira" ela me chamava de "pleta". Amo e sempre vou amar vc, tia Miriam!

Cláudia disse...

Linda homenagem! Ela deve estar muito feliz e orgulhosa de vc!!

Mabel Madruga disse...

Perfeito,filha!!!
Além de lindo retrata suas lembranças da tia tão querida, que foi minha irmã para você. E que continua sendo muito amada por todos nós. Mamãe

Mabel Madruga disse...

Perfeito,filha!!!
Além de lindo retrata suas lembranças da tia tão querida, que foi minha irmã para você. E que continua sendo muito amada por todos nós. Mamãe