Mais Poesia

sábado, 16 de janeiro de 2016

Cecília Benevides de Carvalho Meireles

Hoje o post será dedicado a essa maravilhosa poetisa, pintora, professora e jornalista brasileira, nascida em 7 de novembro de 1901 no Rio de Janeiro, bairro da Tijuca. Morreu aos 63 anos em 9 de novembro de 1964. Uma das vozes líricas mais importantes das literaturas de língua portuguesa.
Seu primeiro livro de poesias, Espectros, foi publicado quando ela tinha 18 anos, em 1919.
Foi casada por duas vezes e teve 3 filhas no primeiro casamento. 
Vou colocar aqui um lindo poema escrito por ela . É inspirador! 
Esse foi o presente que ela nos deixou, sua poesia.


Motivo


Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
-não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
-mais nada.

(Cecília Meireles)

Nenhum comentário: